Agora

Celso Polinário

19:00 - 22:00

Notícia

Governo de Rondônia discute Políticas de Florestas Plantadas

Meta é alcançar 5 mil hectares nos próximos três anos
Governo de Rondônia discute Políticas de Florestas Plantadas
Frank Nery, Rinkon Martins e Arquivo

O aumento de áreas plantadas de espécies exóticas, como o pinus e eucalipto, é mais uma alternativa econômica que alavanca o agronegócio em Rondônia, depois da farta produtividade da pecuária e de grãos, como milho e soja. O cultivo de matas exóticas e nativas, bem como os respectivos desdobramentos, foi pauta da reunião realizada na terça-feira (2),  entre a Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater),  Secretaria de Desenvolvimento Ambiental (Sedam), Assembleia Legislativa e associações.

O plantio de florestas começou tímido em Rondônia, há pouco mais de 25 anos, e vem atraindo interesse de pequenos, médios e grandes produtores em várias regiões do estado. Pinus e eucalipto são as espécies mais cultivadas no sul rondoniense devido à exigência da planta por solo pobre. A meta dos grandes produtores da região é alcançar, nos próximos três anos, 5 mil hectares de árvores plantadas.

Com essa projeção, os empresários esperam garantir melhores preços e pretendem abrir uma usina de resinagem na cidade. No caso, a indústria terá condições de processar a goma resina, matéria prima do pinus, para ser vendida a preços competitivos no mercado nacional.

Outras espécies exóticas como teca e os mognos asiático e africano, e também a espécie nativa paricá, já ocupam áreas a partir da região central do estado, onde o solo é rico em nutrientes. O destino dessas madeiras exóticas é o exterior. Já a madeira da espécie paricá, tem largo consumo interno.

O governo do Estado tem ressaltado que, no últimos anos, empresários do setor florestal de Rondônia vêm apostando em novos plantios de espécies nativas e exóticas. As espécies de maiores interesses são os pinus tropicais para produção de goma-resina; os eucaliptos para a demanda de geração de energia térmica e secagem de grãos para o setor ceramista, frigoríficos e laticínios. Já o setor de lâminas, para fabricação de compensados, vem sendo contemplado por uma espécie nativa de excelente qualidade, que é o pinho cuiabano, também conhecido como bandarra.

O grande desafio para o setor é atender aos pequenos produtores rurais, que somam mais de 100 mil famílias para o cultivo de novas áreas como a teca, espécie que apresenta bom crescimento no estado e elevado interesse comercial a qual gera ganhos econômicos expressivos.

Governo de Rondônia se reúne com agricultura e ambiente para discutir Florestas Plantadas.

O objetivo é identificar os plantios florestais mapeando as principais regiões plantadoras de florestas com o propósito de traçar políticas públicas para o setor. Os trabalhos estão em fase de conclusão e já indica uma área aproximada de plantio florestal de 17 mil hectares, com predominância da espécie de pinus tropical com 6.060 hectares, vindo a seguir o eucalipto e teca.

A reunião contou com a presença do vice-governador José Jodan, secretário da Agricultura Evandro Padovani, presidente da Emater, Luciano Brandão, deputado estadual Cirone da Tozzo e representantes da pasta ambiental, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e associações.

Fonte(s): Victoria Bacon e Rayne Freire / SECOM-RO

Comentários

Últimas notícias

Ciência & Tecnologia
Mexer o Doce - Trufa Fit

Para comer sem culpa essa receita é feita à base de chocolate meio amargo e, para confeitar, leva nozes picadas.

Ciência & Tecnologia
Quadro Mexer o Doce - Carpaccio de morango com ganache

Quer preparar uma sobremesa fácil e rápida, sem deixar o sabor de lado? Então invista na combinação morango com chocolate!

Ciência & Tecnologia
Fondue de chocolate branco

Para amantes de chocolate branco, uma receita de fondue que combina com qualquer fruta!

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar o acesso, você concorda com nossa Política de Privacidade. Para mais informações clique aqui.